SAIBA COMO ENCAMINHAR O SEU PEDIDO DE SALÁRIO MATERNIDADE.

SAIBA COMO ENCAMINHAR O SEU PEDIDO DE SALÁRIO MATERNIDADE.

O salário maternidade é um dos benefícios previdenciários destinado às seguradas (mulheres). Muitas dúvidas podem surgir, como por exemplo: quem tem direito ao salário maternidade? Com quantos meses de gravidez posso dar entrada? Quais documentos são necessários para encaminhar? Qual o valor recebido? Qual a idade máxima que a criança pode ter para que a mãe tenha direito ao benefício?

As dúvidas apresentadas anteriormente podem ser facilmente esclarecidas por um advogado especializado em Direito Previdenciário, que além de explicar sobre o benefício, pode encaminhar junto ao INSS seu requerimento e acompanhar passo a passo todo o andamento processual. No entanto, trazemos desde já, de forma clara e objetiva, respostas aos questionamentos mais comuns sobre o Salário Maternidade.

O primeiro passo é saber quais situações geram, para a mulher, o direito de requerer este benefício. A mais comum é o nascimento de uma criança, porém existem mais duas ocasiões que a segurada terá direito ao recebimento do salário maternidade, são elas o aborto espontâneo e a adoção (de criança até 12 anos).

Preenchido este primeiro requisito, deve-se observar se esta mulher está na qualidade de segurada. São estas as hipóteses de segurada, atualmente: trabalhar de carteira assinada; desempregada – já trabalhou de carteira assinada (será observado o período de tempo que está desempregada); MEI (microempreendedora individual), contribuir para o INSS pelo carnê (contribuinte individual/facultativa) e agricultora (segurada especial); todas essas situações tornam a mulher segurada da previdência social, logo, detentora do direito ao Salário Maternidade.

No entanto, para comprovação dos quesitos acima expostos, o INSS exige apresentação de documentação específica da mulher (mãe): RG, CPF, CTPS (carteira de trabalho), certidão de casamento (se for casada) e comprovante de residência; no caso da agricultora, além desses documentos, são necessário outros que comprovem a atividade rural (ex: DAP, programa hora de plantar, etc); e da criança (já nascida): certidão de nascimento; no caso de aborto espontâneo é necessária à apresentação do atestado médico; e na adoção, o termo de guarda ou nova certidão.

No que concerne à mulher empregada, ou seja, àquela que trabalha de carteira assinada, o salário maternidade será pago pela empresa e pode ser requerido a partir de 28 (vinte e oito) dias antes do parto. Já para a mulher MEI, contribuinte facultativa ou individual (contribui pelo carnê) e agricultora, o requerimento será feito ao INSS, no mesmo prazo, a partir de 28 (vinte e oito) dias antes do parto. Por fim, a desempregada (que já trabalhou de ctps assinada – será considerado o tempo da demissão até o parto), a adotante e a que sofreu o aborto espontâneo, deverão requerer junto ao INSS o benefício a partir do parto, adoção e aborto (espontâneo), consecutivamente.

O requerimento pode ser feito a partir de 28 (vinte e oito) dias antes do parto (nas hipóteses citadas acima), ou do parto, até a criança completar 5 (cinco) anos de idade. Tal benefício tem duração de 120 (cento e vinte) dias, para o parto e adoção e 14 (catorze) dias no caso de aborto espontâneo.

Não se preocupe, pois a reforma da previdência em nada alterou as regras deste benefício. Sendo assim, acesse o sistema MEU INSS para requerer o seu salário  maternidade. Atualmente, existe a opção de agendar esse e qualquer outro benefício pelo site, sendo possível, inclusive, o envio da documentação exigida de forma digital. Se eventualmente persista alguma dúvida ou dificuldade em acessar o sistema virtual do INSS, procure um advogado de confiança que está preparado para atender a sua demanda e solucionar seu caso.

Mais postagens

APOSENTADORIA HÍBRIDA

APOSENTADORIA HÍBRIDA

setembro 16, 2020

A aposentadoria híbrida (ou aposentadoria mista) é possível desde 2008, pela  Lei nº 11.718, porém, ainda pouco popular entre os segurados. No entanto, merece bastante atenção, poi

DANO MORAL NAS AÇÕES PREVIDENCIÁRIAS

DANO MORAL NAS AÇÕES PREVIDENCIÁRIAS

setembro 16, 2020

O INSS tem deixado insatisfeitos inúmeros segurados, na maioria dos casos, devido à demora na análise de seus requerimentos e insuficiência nas informações oferecidas. Ocorre que e

APOSENTADORIA ESPECIAL

APOSENTADORIA ESPECIAL

setembro 14, 2020

No direito previdenciário brasileiro podem ser encontrados alguns tipos de aposentadorias, dentre essas, uma que causa bastante dúvida e interesse é a Aposentadoria Especial, devid

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *